Procuras

 

flor-cacto

Vasculhas dentro de ti, até encontrares algo sutil

Que apazigue teu descontrolado e sufocado coração

Aqueces com labaredas de amor sentindo a emoção

De viver plenamente acariciando seu porvir senil.

 

Vais, depara-te com espinhos por dentre as flores

Mesmo sentindo a dor ardente dos pontiagudos

Saboreia a magnitude da rosa exalando seus odores

Na suculenta apreciação nos domingos de folguedos.

 

A chama da vida que vais se extinguindo com afagos

Da meiguice infantil que já foi apagada pelo tempo

Com atropelos de encontros e desencontros vagos

Que apagaram inesquecíveis momentos de acalento.

 

 

 

 

Produção: Miriam Carmignan

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s