Banalidades

maos-acenam

Quantas manipulações para com as pessoas do bem

Violam sem o menor escrúpulo todos os sentimentos

Uma mão acena e a outra encena funestos eventos

Na mais pura inocência caem na sedução de alguém.

 

Atraem e beneficiam-se para avolumar a falsa integridade

Insensibilidade para com a preciosidade do bem viver

E as bondosas pessoas relutam em acreditar no mal querer

Por banalidades, suprimem a existência com fatalidades.

 

Comovem com ações traiçoeiras e suas falas sábias

Enganam os indefesos com vil habilidade e insistência

Precaver-se contra ações maldosas antes de chegarem.

 

O amor, caminho seguro, mas com o olhar de uma águia

Para Defender-se de seus predadores com consciência

Buscando novas saídas para as portas que se fecharem.

 

 

 

Produção: Miriam Carmignan

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s