Silenciar

divindade

Precisas chegar à extremidade plena de tua vida

E só depois parar de movimentar-te e esmorecer?

Podeis muito bem fazer algo antes disso acontecer!

Semelhantes percebem e ajudam! Segues, tem saída.  

 

Especiais são os que veem por trás da tua cegueira

Que involuntariamente te fechas pela insana tirania

Dos fantasmas imaginários que te assolas na covardia

Sofreguidão nas quedas que vão, levanta-te guerreira!

 

Sombreiam tuas ações e crias voluptuosas fantasias

Silenciando simplesmente, sentir-se-á onipresente…

Somos o que somos vivendo o momento presente

Solta o controle e peregrina em teus sonhos, esvazia.

 

Vaga nos encantos de menina mulher que deseja e quer

Recusas as tramas que te afrontam para não sucumbires

Desatinos distorcidos que te amordaçam para desistires

Deixa correr na sinfonia do amor prevalece o bem querer.

 

 

Produção texto: Miriam Carmignan

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Silenciar

  1. Anônimo disse:

    Parabéns pelo texto, Miriam Carmignan! Na pista do Comercial, onde muitas pessoas correm ou caminham todos os dias, a paraatleta Aline Rocha, pentacampeã da São Silvestre, iniciou sua brilhante carreira.
    Abração, Euclides Riquetti

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s