Flores desabrochando

rosa de saron

A beleza e a simplicidade natural das flores

Desabrochando na tenra e úmida terra fértil

Divisando as fronteiras estéreis e sem cores

Na negritude da noite rastreando como réptil.

 

O amor na floração preciosa e mui fragilizado

Ensejo inconstante sem nenhum sentimento

Que aflora num rompante mútuo desejado

Inocentes e puros irradiam contentamentos.

 

Como cisnes brancos, levam suas lembranças

Navegando nas calmas águas, migalhas de pão

Das memórias de uma infância livre e inocente.

 

Nem malícias ou maldades e nenhuma cobrança

Como rosas envelhecidas que estatelam no chão

Sorrateiras paixões, apenas momentaneamente.

 

 

Produção texto: Miriam Carmignan

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s